12 ago

Aproveite melhor a água da chuva

minicisterna01p

O site Sempre Sustentável (http://www.sempresustentavel.com.br/) tem várias boas ideias que podem ser usadas de forma a permitir – no uso doméstico – utilização mais racional dos recursos que temos à nossa disposição. O objetivo principal do site é o seguinte: “Criar, pesquisar, desenvolver e disseminar projetos experimentais de baixo custo, que possam gerar conforto, economia, segurança, entretenimento e qualidade de vida dentro do lar, sempre respeitando e preservando nosso patrimônio planetário, e fazendo uso racional das fontes de energias naturais, renováveis e não poluentes”. Um desse projetos é a mini cisterna de água de chuva, definida como um projeto de baixo custo para residências urbanas. O site informa que os principais objetivos desse projeto são os seguintes:

  • usar a água para irrigações nos jardins. Assim, a água vai infiltrar na terra e irá para o lençol freático, preservando o seu ciclo natural;
  • usar a água para lavagens de pisos, carros, máquinas e nas descargas no vaso sanitário;minimizar o escoamento do alto volume de água nas redes pluviais durante as chuvas fortes;
  • ser uma excelente ferramenta didática para as escolas.

O manual completo para a construção da minicisterna pode ser encontrado no seguinte endereço: http://www.sempresustentavel.com.br/hidrica/minicisterna/minicisterna.htm

10 ago

Curitiba faz conferência para divulgar ideias

Cidades Inovadoras

Em maio deste ano, a cidade de Curitiba patrocinou a 3ª Edição da Conferência Internacional de Cidades Inovadoras (CICI2014) e do Fórum ICities. O objetivo, claro, era a criação de um amplo espaço de debate, onde foram apresentadas ideias nas mais distintas áreas, que tornem mais interessante a vida na cidade.
O evento reuniu cerca de 1,2 mil pessoas e cerca de 100 palestrantes nos três dias em que ocorreu (7,8,e 9). Os debates foram estabelecidos em torno de seis eixos temáticos: mobilidade urbana, infraestrutura, tecnologias sociais, empreendedorismo, eficiência e viver a cidade.
A iniciativa foi uma promoção do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), da Universidade Positivo e Prefeitura de Curitiba.

Festival de ideias
Dentro do conferência, também ocorreu o Festival de Ideias, cuja proposta era encontrar soluções para melhorar a qualidade de vida nos ambientes urbanos por meio da participação das pessoas. A participação era gratuita e 21 ideias foram escolhidas.

Confira a principal ideia de alguns dos projetos selecionados, segundo informações da assessoria de imprensa da conferência:

  • “Viver a Cidade” – “Readequação das Estações Tubo”: Combo de ideias para melhoria das estações tubo, desde a ventilação, segurança, banheiros para funcionários até a adequação de um piso que gere energia.
  • “Ciclovia Universitária” – “Sistema de Ciclismo Utilitário”: Rede de ciclovias que ligue as universidades, melhorando os impactos ambientais e culturais e integrando a bicicleta como meio de transporte.
  • “Calçadas Para Todos”: Calçada que não seja exclusivas para deficientes, mas que objetivem a mobilidade e segurança de todos. Superfícies lisa com localizações, como pontos de ônibus ou turísticos.
  • “Suprimento de água”: Criação de cisternas em conjunto.
  • “SGAQ: Sistema Gerenciador de Água Quente”: Evitar o desperdício da água que escoa do chuveiro até que o seu aquecimento.
  • “Vida Verde” – “Geração de energia através de exercícios físicos” – “Usar uma atividade rotineira para gerar energia”: Gerar energia por meio das práticas de atividades física, estimulando o contato com a natureza.
  • “Bancos de Trabalho do Bem”: Ferramenta que reúna profissionais para ensinar sobre gestão para jovens empreendedores. Cada profissional coloca à disposição a expertise, transmitida via EAD, com curadoria.
  • “Commun: O Crowdfunding da Comunidade”: Site de Financiamento Coletivo Comunitário. A sugestão é cadastrada, avaliada e concretizada, por meio de financiamentos coletivos.
  • “Empresta Aí, Rede Colaborativa de Empréstimos”: Plataforma de troca de produtos, livros, textos entre as pessoas.
  • “Design Thinking e Ecoprodutos Brasileiros”: Intercâmbio de informações entre estudantes de design e artesãos, principalmente sobre o uso de algumas matérias-primas, como coco e pinhão.
  • “IdeiaLOCAL: Consumidores construindo o comércio local”: Plataforma digital que aproxima o consumidor do empreendedor
  • “SouArtistaPro – Ajudando artistas a viverem de sua arte”: Promover cursos (online e presenciais) de empreendedor para artistas.
  • “ReCiclo Cultural”: Recall de produtos reciclados para mobilizar a população visando a produção de materiais, como enfeites, blusas.
  • “.21″: Gangorra feita com materiais reciclados colocada em pontos de ônibus para gerar mais interação entre as pessoas.
  • “Paisagismo Urbano”: Palestras em bairros e espaços públicos para educar a população em relação ao meio ambiente.
  • “Energia do ‘Rush’” – “Energia Produzida por nós” – “Passo Verde”: Energia integrada sustentável (para iluminação, transporte) por meio da pisada ou passagem de automóveis em placas específicas.
  • “Mini Gerador Elétrico”: Utilizar movimento da água (rios e parques) para gerar energia, por meio do movimento cinético.
  • “Circuito Eletromecânico Gravitacional Circunscrito Transformador de Energia Potencial Cinética em Energia Elétrica”: Transformar energia potencial cinética sem fazer uso de força.
  • “Kids Rescue”: Aplicativo para ajudar a encontrar crianças nas ruas.

Comentário
O objetivo deste post é mostrar que parte razoável dos problemas urbanos podem ser resolvidos com ideias originais e gente disposta a executá-las, o que, aparentemente, ocorre em Curitiba.
A receita inclui Executivo e Legislativo interessados em fazer a coisa andar, empresariado consciente do seu papel no crescimento consciente e sustentável da cidade e centros de conhecimento que forneçam a mão de obra especializada para a viabilização dessas ideias. Além disso, uma sociedade que esteja disposta a participar e cobrar do pessoal acima o andamento dos projetos.
Até onde sei, temos, com certeza, centros de conhecimento capazes, mas não me parece ter visto o poder público, empresariado locais ou a população fazerem alguma coisa nesse sentido.
O pior é que nem eventos desse tipo são caros a ponto de não poderem ser realizados. Da mesma forma, grande parte das ideias que poderão decorrer daí não levariam a cidade à bancarrota. Pior ainda, custariam muito menos do que se gasta hoje com o processo irreversível de concretagem e asfaltamento do município.
Assim, por que um think tank sobre possíveis soluções para Ribeirão Preto não vai para a frente? Eu concordo que ser a capital do agronegócio pode ter as suas vantagens, mas por que não associar a imagem da cidade a algo que envolva inovação em projetos para o meio urbano? Algo que, em suma, resulte em melhoria da qualidade de vida de todos nós?
Cada vez mais acredito – e este blogue é a expressão viva dessa crença – que a qualidade de vida em uma cidade se consegue com pequenas soluções, rua a rua, bairro a bairro e não com projetos de grande impacto. E você, o que acha?

07 ago

Uma breve (e ilustrada história) do design de bicicletas

Capa do livro "Bicycle Design: An Illustrated History",de Tony Hadland e Hans-Erhard Lessing

Capa do livro “Bicycle Design: An Illustrated History”,de Tony Hadland e Hans-Erhard Lessing

A revista Slate (www.slate.com) publicou uma resenha do livro “Bicycle Design: An Illustrated History”, de Tony Hadland e Hans-Erhard Lessing. Na seção de resenhas, os dois autores foram convidados para escrever um texto sobre o livro e optaram por apresentar dez momentos decisivos para a evolução desse meio de transporte cada vez mais interessante para cidades.
Um desses momentos foi a criação não só das rodas mas, sobretudo os raios de metal que permitiram a sua sustentação. O trecho é este aqui.

“1869 – THE TENSION-SPOKED WHEEL
Races began to be organized regularly by velocipede clubs in France starting in 1869. When wooden spokes were replaced by steel tension wires—as patented by an Alsatian in Paris named Eugène Meyer—it was a breakthrough moment. Huge front wheels could now be built for higher speed, limited only by the inseam of the rider. Meyer, an unsung hero, had been forgotten until recently because his name was misspelled and couldn’t be traced at the patent office. His velocipedes were the era’s most beautiful and were ridden by top racers. When the French racers brought these high wheelers to England in 1870, they were seen and immediately improved upon by James Starley.”

Os dez momentos históricos da bicicleta nos dois últimos séculos podem ser conhecidos neste neste link: http://www.slate.com/blogs/the_eye/2014/07/22/bicycle_design_an_illustrated_history_by_tony_hadland_and_hans_erhard_lessing.html

06 ago

Lixo por alimentos

Feira de troca das "moedas verdes" por alimentos. Fonte: Site Atitudes Sustentáveis

Feira de troca das “moedas verdes” por alimentos. Fonte: Site Atitudes Sustentáveis

A Prefeitura de Umuarama (PR) criou um projeto superinteressante, chamado “Lixo que Vale”. A ideia é simples, mas bastante eficiente: incentivar famílias carentes do município a praticar a separação de lixo reciclável . Uma vez por semana, o material separado pode ser trocado em um dos vários pontos de pesagem e troca, que funcionam sempre aos sábados. Acima de um quilo, a família recebe um vale, chamado “Moeda Verde”, que vai permitir a aquisição de diversos tipos de alimentos disponibilizados em feiras livres (que tenham convênio com a Prefeitura), que funcionam a cada 15 dias. Lá, a família pode encontrar cerca de 20 tipos de verduras e legumes e outros tipos de alimentos produzidos pelos agricultores locais.

O site Atitudes Susentáveis (http://www.atitudessustentaveis.com.br/consumo/conheca-a-feira-que-troca-lixo-por-alimentos/) fez uma matéria bem legal sobre esse assunto.

 

FEEDBACK

  • O que você acha dessa ideia ser adotada em Ribeirão Preto?
  • É Viável? 
  • Quais são os possíveis problemas que poderia encontrar no município?
05 ago

Uso inteligente da publicidade

Exemplo de publicidade interagindo com a cidade e as pessoas

Exemplo de publicidade interagindo com a cidade e as pessoas

O site da empresa de consultoria 2Day (http://www.2dayconsultoria.com.br/2013/06/boas-ideias-para-as-cidades/) publicou um minitexto a respeito de como a publicidade pode ser algo dinâmico, que interaja com a cidade e os seus habitantes. A agência Ogilvy & Mather criou uma série de peças para uma campanha da IBM, chamada “Smarter Ideias for Smarter Cities“ (o que só realça a genialidade da propaganda) e fez com que diversos painéis publicitários também pudessem ter utilização prática no dia-a-dia das cidades. Uma delas está na foto acima, onde uma das placas se transforma, também, em um abrigo para eventuais chuvas.

Além dele, a campanha também criou um painel que vira banco e outro que pode ser estendido sobre escadas e auxilia a locomoção de pessoas, por exemplo, carregando bagagens.

 

Em Ribeirão

Essa ideia – ou, de modo mais amplo, os princípios por trás dela – poderia ser adotada em Ribeirão Preto, sem custos para o poder público e poderia criar um espaço urbano mais interessante. Será que uma parceria da Prefeitura com alguma empresa não poderia viabilizar algo desse tipo, a exemplo do que hoje ocorre com os cestos de lixo?

Você tem alguma ideia diferente que poderia ser usada dentro desse princípio?