26 maio

O exemplo sul-coreano

O site Environment 360º, da universidade norte-americana de Yale, publicou recentemente um documentário em duas partes do diretor Karim Chrobog, vencedor de diversos trabalhos pelo mundo, entre eles o uso de crianças como soldados no Sudão. O documentário chama-se “The Big Waste” e o foco é o desperdício de alimentos e o impacto que causa nas grandes cidades. Um dos exemplos citados pelo diretor é a cidade de Seul, de cerca de dez milhões de habitantes na sua área metropolitana, e onde foi implantado um sistema high-tech de controle de desperdício de alimentos (veja vídeo acima).

Resumidamente, a experiência da Coréia do Sul está assente na instalação de pequenas lixeiras, de uso familiar, (sobretudo nos gigantescos conjuntos habitacionais) onde diariamente são jogados os restos de alimentos consumidos. A abertura e o fechamento da lixeira só podem ser feitos pelo uso de um cartão eletrônico, de uso restrito à família proprietária do equipamento. Uma vez no interior do depósito, o lixo é pesado e, se ultrapassar um determinado número, determinado pelas autoridades municipais, a família recebe uma multa.

Desde que começou a ser utilizado, o sistema já reduziu em cerca de 30% o desperdício de comida no país e, por consequência, o volume de alimentos encaminhados aos aterros locais. Os restos de alimentos são utilizados na produção de rações para animais, fertilizantes ou incinerados, dentro de um processo de geração de energia elétrica.

O site onde os dois vídeos estão publicados pode ser acessado neste endereço: Environment 360º.

03 maio

Brasil poderá ter painéis solares mais baratos

painel_solar

“O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) deve aprovar a desoneração de tributos e contribuições incidentes sobre painéis geradores de energia solar. De acordo com o secretário de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis do Estado do Piauí, Luís Coelho, o órgão deve baratear em até 60% o preço da produção de energia solar e, consequentemente, viabilizar investimentos na indústria.”

Essa notícia, publicada no portal E-Cycle (Portal E-Cycle) tem tudo para se tornar a mais importante do ano, quando o assunto envolve novas formas de energia. O texto completo pode ser encontrado neste endereço: Menos impostos para painéis solares.

Para se ter uma ideia de como o custo de produção afeta a instalação de painéis solares, apenas 403 residências têm esse tipo de equipamento instalado no Brasil.

01 maio

Empresa promete revolucionar plantios urbanos (via E-Cycle)

cityblooms

“Nas cidades de todo o mundo, grandes ou pequenas, existe muito espaço que poderia ser melhor aproveitado. Para além do déficit de moradia e da especulação imobiliária, algumas áreas normalmente pouco exploradas, poderiam ter algum valor adicional, como os telhados de prédios e galpões abandonados. Então imagine se fosse possível construir uma pequena fazenda com estufas nesses locais para produzir alimento livre de poluição, sem agrotóxicos e com muitos nutrientes.

Mas e se eu for precisar do espaço para outra coisa depois”? Essa é pergunta que o proprietário do local faria, pois a configuração urbana é muito instável, novas oportunidades poderiam surgir e não seria nada fácil retirar toda a plantação e investimento feitos. É aí que surge a inovação da companhia Cityblooms, da Califórnia (EUA): produzir uma minifazenda com estruturas leves e removíveis.”

O texto acima foi publicado esta semana no portal E-Cycle, com o seguinte título:  Com estufas inteligentes e removíveis, empresa promete revolucionar plantios urbanos. Através do uso de tecnologia, a ideia é fazer com que os produtos agrícolas que tenham um grau maior de degradação possam ser desenvolvidos dentro dos centros urbanos, mais próximos dos consumidores. Um projeto-piloto já está sendo desenvolvido na baía de São Francisco (Estados Unidos) e parece que as coisas estão andando.